NO PRINCÍPIO CRIOU DEUS OS CÉUS E A TERRA E TUDO O QUE NELE HÁ.

Friday, December 16, 2016

O PROPÓSITO E A PROVIDÊNCIA DE DEUS - PARTE - 54


O PROPÓSITO E A PROVIDÊNCIA DE DEUS

                           PARTE - 54

Tem um ditado que diz: Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura.
E com sansão não foi diferente, com tanta insistência, Sansão acaba cedendo e diz-lhe toda verdade que ela queria ouvir.   
Nunca subiu navalha em minha cabeça, porque sou nazireu de Deus, desde o ventre de minha mãe. *nazireu = escolhido de Deus, para lutar pelo seu povo*
Se vier ser raspado; toda minha força se acaba, e naturalmente ficarei fraco, e serei como a qualquer outro homem.

Sansão é traído por Dalila

Vendo Dalila, que agora ele estava falando verdade, tinha certeza, que já havia dominado seu coração.
Portanto agora era hora de por o seu plano em prática, tratou logo de fazer com que Sansão se adormecesse em seu colo, e chamou os príncipes dos filisteus.
Convictos que Sansão não lhes oferecia perigo, pagam a Dalila a quantia combinada.

E raspando de sua cabeça, às sete tranças, ficou como a um homem qualquer; aproveitando que ele estava dormindo, amarraram-no, e ao acordar, sem dar por conta do que havia acontecido.
Constata-se que estava fortemente amarrado, e como de antes achou que poderia se safar, só que ainda não sabia que o senhor Deus havia lhe tirado suas forças, e afastara dele completamente por causa de sua desobediência, pois ele em hipótese alguma poderia relatar seu segredo.
Agora já não tinha mais forças e por muito que se esforçava, só servia para divertir Dalila e os filisteus.

Aquela paixão aparentemente sincera de Dalila, agora se transforma em ironia, e ela para se vingar, o tripudiava cada vez mais.
Os filisteus pegaram Sansão e tiraram-lhe os olhos, e fizeram-no descer a Gaza, e amarraram-no com duas correntes de bronze, e durante muito tempo, ele no cárcere, seu serviço era as moendas pesadas, só que agora ele já não podia contar com sua grande força, e nem tão pouco com a ajuda de Deus.

Com o passar do tempo seus cabelos começam a crescer, e quando já estava semelhante ao dia em que foi raspado, não perceberam, levaram-no para se divertirem com ele, pois naquele dia os filisteus estavam em grande comemoração, fazendo um grande sacrifício ao seu deus dagom, e para se alegrarem diziam: nosso deus nos entregou em nossas mãos a Sansão, nosso inimigo, que destruía nossa terra e ao que multiplicava nossos mortos.
Nesta euforia toda, tiveram a ideia de buscar Sansão para se divertirem a custa dele.
Trazendo Sansão do cárcere, fizeram com que brincasse diante deles, e fizeram-no estar em pé entre duas colunas.

Naturalmente que Sansão estava ali, sob a guarda de alguém, que o guiava para ir e vir, mas a finalidade era humilhar Sansão então sugeriram que o colocasse entre as duas colunas principais daquele templo, que era o templo de dagom, solicitando a ele que fugisse dali o quanto antes, pois sentia que Deus iria dar a ele a grande oportunidade de vingança, o seu guia que lhe foi tão simpático, ajudou o no que pôde, então Sansão pediu que  ele saísse dali e se salvasse,  e todos os olhos daquela multidão estavam fitos nele, para humilhar e zombar dele.

Todas as festas no templo de dagom tinham por costume lotar o templo, agora então tendo Sansão como ponto de atração, a casa encheu de maneira tal que não cabia mais ninguém, sendo forçado o povo a subir até ao telhado para participar daquela festa, sendo que só no telhado havia uma média de uns três mil homens e mulheres, que mesmo de longe estavam se deliciando com a derrota de Sansão.

De tanto sofrer, não só a dor física, mas também a dor moral, ele se lembra de clamar ao Senhor, e disse: Senhor Jeová, peço-te que te lembre de mim, e esforça-me agora só mais esta vez, ó Deus para que de uma vez me vingue dos filisteus pelos meus dois olhos.

Quando Sansão expressa estas palavras, de todos os lados do templo, surgiam criticas e afrontas.
Não acreditando que Sansão pudesse fazer alguma coisa, o povo gritava e o ofendia com palavras duras, não sabiam eles que Deus ouvira o clamor de Sansão.
Sansão apoiou-se nas duas colunas que sustentava o templo, forçou os braços fortemente nas colunas. E disse:


Morra eu com os filisteus; e o templo caiu sobre os filisteus e sobre todo povo que ali estava, e foram mais os mortos que matou em sua morte do que os que matara em toda sua vida.   

No comments: