NO PRINCÍPIO CRIOU DEUS OS CÉUS E A TERRA E TUDO O QUE NELE HÁ.

Wednesday, December 09, 2015

DEUS NO COMANDO DE TUDO - V/03 - P/20 - "Se agirmos de acordo com os princípios da palavra de Deus, temos certeza de sua benevolência para conosco. Que neste tempo de tantas incertezas, tanta dor e sofrimento, tantas dificuldades, tanta angústia por este mundo afora. Possamos com fé e esperança dar testemunho daquele que representamos “Cristo Jesus” e que Deus nos abençoe e nos dê forças para sermos testemunhas vivas do seu grande amor. E mostrar ao mundo o valor que o evangelho possa representar em nossas vidas, e que possamos honrá-lo a cada dia e que a sua graça e compaixão estejam com todos nós. - Amém "

                   DEUS NO COMANDO DE TUDO

                     VOLUME --  03 --  PARTE --  20

Fortemente amarrado Jesus foi levado para ser julgado pelo presidente Pônsio Pilatos, vendo Judas o rumo que tomou e as conseqüências de sua traição, se arrependeu, porém tarde demais, porque Jesus já estava condenado, e então jogou as suas moedas que havia ganhado com a negociação pelo salão, dizendo: pequei traindo o sangue inocente, e os príncipes tava nem aí pelo seu arrependimento, e ainda tripudiava em cima dele, dizendo: que temos nós com isto, isso é problema seu, mediante todo acontecimento saiu para se enforcar.
 A hipocrisia daqueles príncipes e sacerdotes era sem sombra de duvidas visível, pois depois de terem feito todo mal contra Jesus, agora vem tirar uma de moralistas, dizendo que não podiam utilizar aquelas moedas para o benefício publico, porque elas custaram a preço de sangue, e assim entenderam que deviam usá-las para comprar um campo onde pudessem sepultar os estrangeiros que viessem a falecer naquela comarca, e assim fizeram, e colocaram o nome do cemitério de Campo de Sangue, que até hoje ainda é conhecido com este nome, cumprindo assim o que o profeta Jeremias havia profetizado.
Enquanto estavam decidindo o que fazer com as moedas, Jesus estava sendo condenado a morte pelo povo, ele foi apresentado ao presidente, que o interrogou, dizendo: És tu o Rei dos judeus? Jesus responde dizendo que era ele que estava confirmando tais palavras, e disse, tu o dizes, e como um cordeiro que é levado para o matadouro, permaneceu em silencio e não abriu mais a sua boca.
Pilatos insiste; não houve o quanto testificam contra ti? Nem assim respondeu, deixando Pilatos muito emocionado e maravilhado com o comportamento e a convicção de Jesus.
Naquela época, nos dias de festa da cidade era de costume soltar um prisioneiro a escolha do povo, e coloca a disposição para que o povo escolhesse a quem deveria soltar; Barrabás ou Jesus, chamado Cristo? Pilatos sabia da inveja que existia entre os príncipes e dos sacerdotes, a respeito de Jesus, pois achavam que Jesus estava atrapalhando seus negócios fraudulentos.
E pensando que não poderiam perder aquela oportunidade de se ver livre de Jesus, o povo grita em uma só voz, num gesto brusco e desumano, queremos que solte Barrabás.
Em meio aquela indecisão do presidente, a sua mulher entra em cena, mandando um recado para o presidente antes que ele tomasse a drástica decisão, dizia o recado para que ele não se envolvesse na questão daquele justo, que era Jesus, porque em seus sonhos havia sofrido muito por causa dele.
Houve então um grande reboliço entre a multidão instigado pelos príncipes dos sacerdotes e também pelos anciãos, pedindo que crucificassem a Jesus, e assim o povo continuava gritando: solte Barrabás e mate a Jesus.
Pilatos, para se fazer de inocente, deixando toda culpa para o povo, insiste qual dos dois quereis que vos solte? E uma só voz respondia, solte Barrabás.
Pilatos insiste que farei então de Jesus, chamado Cristo? E todos gritaram; seja crucificado. Pilatos insiste mais uma vez, que mal fez ele para merecer a morte?

O povo já impaciente, diziam; seja crucificado.

                             --- EJO ---- Continua



No comments: